Habilitação em “Docência e Pesquisa” unifica especializações da Biomedicina

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Habilitação em “Docência e Pesquisa” unifica especializações da Biomedicina

A Biomedicina está entre as profissões com variado número de habilitações. As habilitações são o campo de atuação do profissional biomédico, após a conclusão de estágio obrigatório de 500 horas ou especialização em instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC. Recentemente, o Conselho Federal de Biomedicina (CFBM) decidiu ajustar algumas habilitações da Biomedicina, por meio da unificação da área de competência.

A Biomedicina está entre as profissões com variado número de habilitações. As habilitações são o campo de atuação do profissional biomédico, após a conclusão de estágio obrigatório de 500 horas ou especialização em instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC. Recentemente, o Conselho Federal de Biomedicina (CFBM) decidiu ajustar algumas habilitações da Biomedicina, por meio da unificação da área de competência.


Conforme o vice-presidente do CFBM, biomédico Edgar Garcez Júnior, as habilitações que são voltadas ao ensino e à pesquisa e têm caráter eminentemente não laboratorial foram agregadas na habilitação “Docência e Pesquisa”. Ou seja, Biofísica, Virologia, Fisiologia, Histologia Humana, Patologia, Embriologia, Psicobiologia estão agora apensadas. As demais foram mantidas em separado. Ou seja, não se trata de exclusão.


O vice-presidente do CFBM reforça que a Biomedicina continua tendo 35 habilitações e, futuramente, até mais visto que os Conselhos unidos têm trabalhado neste sentido. “O que fizemos foi deixar mais claras as áreas de atuação”, afirma. A mudança na nomenclatura favorece ainda um aspecto jurídico relevante. “Lamentavelmente, muitos profissionais habilitados para a docência assinavam laudos ou produziam documentos sem ter habilitação para isso, o que agravava problemas durante a Fiscalização”, reforça Edgar Garcez Júnior.


O assunto já vinha sendo discutido há cerca de três anos, período em que também foram realizados estudos para fundamentar a decisão e ao final do ano de 2018, solidificou-se. Antes, foram realizadas várias reuniões com os membros do CFBM, especialmente aqueles que integram os grupos dos professores e dos coordenadores de cursos, incluindo o presidente e o tesoureiro da entidade, Sílvio José Cecchi e Dácio Eduardo Leandro Campos, respectivamente, além da participação de representantes de todos os Regionais.


“O que tenho enfatizado bastante durante palestras e encontros com biomédicos é a importância de reforçar esse caráter docente, tão forte na Biomedicina, e agora mais específico com a nomenclatura “Docência e Pesquisa”, diz Edgar. O Conselho Federal de Biomedicina, por enquanto, não divulgará uma Resolução específica sobre o assunto, mas orienta que todos os seus públicos promovam a disseminação das habilitações com este novo formato, com o objetivo de endossar o caráter da Docência e da Pesquisa. (Imprensa – CRBM-3)


Habilitações da Biomedicina


1 – Patologia Clínica

2 – Parasitologia

3 – Microbiologia

4 – Imunologia

5 – Hematologia

6 – Bioquímica

7 – Banco de Sangue

8- Docência e Pesquisa: Biofísica, Virologia, Fisiologia, Histologia Humana, Patologia, Embriologia, Psicobiologia

9 – Saúde Pública

10 – Imagenologia

11 – Radiologia

12 – Análises Bromatológicas

13 – Microbiologia de Alimentos

14 – Citologia

15 – Análise Ambiental

16 – Acupuntura

17 – Genética

18 – Reprodução Humana

19 – Biologia Molecular

20 – Farmacologia

21 – Informática de Saúde

22 – Histotecnologia Clínica

23 – Toxicologia

24 – Sanitarista

25 – Auditoria

26 – Perfusão Extracorpórea

27 – Biomedicina Estética

28 – Monitoramento Neurofisiológico Transoperatório


FONTE: CFBM

Outros Informativos